//

Notícias > Lista de Notícias



Presidente Dilma fala em diálogo, sem pronunciar 'congresso nacional', critica Marcus Pestana

30/10/2014

 

Marcus Pestana fala sobre reforma política e fortalecimento das instituições (Foto: Alexssandro Loyola/PSDB)


No plenário da Câmara, na quarta-feira (29/10), o deputado federal Marcus Pestana abordou o tema da democracia participativa e reforma política. O parlamentar ressaltou a necessidade de qualificar o debate sobre o fortalecimento das instituições e da sociedade civil. 
 
Para ele, o debate sobre o Decreto 8.243/14, que criou a Política Nacional de Participação Social, é relevante e central, mas deve ser aprofundado. “[A discussão] foi feita no momento errado, como o instrumento errado, por decreto, num momento eleitoral. Há distorções imensas. É preciso regras transparentes”, afirmou. 
 
Sobre a reforma política, Marcus Pestana lembrou que a Comissão Especial e o Grupo de Trabalho, dos quais fez parte, trabalharam intensamente nesta legislatura. O grupo elaborou a PEC 352/13, que se encontra em trâmite na Comissão de Constituição e Justiça.
 
“Temos que aproximar a sociedade. O tema do financiamento (de campanhas) é importante, mas não é central. Precisamos acabar com as campanhas milionárias, e com a porta da corrupção, precisamos fortalecer os partidos. Nós batalhamos isso. A PEC deveria ser o ponto de partida”.
 
Além disso, Pestana criticou a presidente Dilma que, após o encerramento das eleições, retomou o tema da reforma política, propondo um plebiscito.
 
“O congresso tem condições de deliberar. O plebiscito é inviável. A PEC prevê o referendo. Mas, precisamos chegar a um consenso na raiz do problema, que é o sistema eleitoral. Não é a presidente que será a protagonista. Ela conseguiu falar em diálogo sobre reforma política sem conseguir pronunciar ‘congresso nacional’. As instituições democráticas têm que ser fortalecidas, assim como a sociedade.”
 
 
Assista ao pronunciamento na íntegra.
 

Imagens: Parlatube / Youtube

 

+ Veja mais