//

Notícias > Lista de Notícias



Por rendição e fracasso, Governo Dilma adere tardiamente a privatizações, critica Marcus Pestana

11/06/2015

 

Projetos lançados pelo Governo Dilma são mera propaganda, criticou Marcus Pestana (Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara)


O deputado federal Marcus Pestana criticou duramente a iniciativa do Governo Dilma em lançar tardiamente um pacote de concessões para o setor de infraestrutura, no último dia 9, numa tentativa de estimular a economia. Para o deputado tucano, após anos de críticas às privatizações, o PT se rendeu às políticas por ter fracassado em sua estratégia intervencionista, não oferecendo o ambiente necessário para atrair investimentos.
 
“Nós do PSDB gostaríamos de dar as boas vindas ao PT ao mundo das privatizações. Durante anos e anos, o PT demonizou as privatizações, teve uma posição anacrônica e atrasada. Esse ano sumiu o PAC. O PAC empacou e foi enterrado. Esse ano será o menor investimento desde 2000 na infraestrutura.” disse na tribuna da Câmara, na noite de quarta-feira, dia 10.
 
Pestana ressaltou também que a iniciativa chega tarde e não gerará frutos em médio e curto prazo. “Muitos projetos são mera propaganda e ficção”.
 
Para o parlamentar, o país vive um “momento gravíssimo”, com crise econômica, base política volátil e escândalos de corrupção. Ele questiona se investidores nacionais ou internacionais confiam na economia brasileira, diante da instabilidade e falta de previsibilidade do atual Governo. 
 
“A infraestrutura é um dos grandes gargalos nacionais e um dos elementos centrais no custo Brasil. Mas se o governo não tem eficiência e poupança para investir, por outro lado tem que criar o ambiente, a credibilidade, a confiança,”disse.
 
E para que o Brasil volte a atrair investidores, Marcus Pestana enfatiza que “só há um remédio: tirar o PT do poder e proporcionar um choque de confiança e credibilidade. Um governo que propicie a profissionalização da máquina pública, fortalecimento das agências regulatórias e a permanência do marco normativo e legal”. 
 
Assista ao vídeo na íntegra:
 

 

Imagens: TV Câmara

+ Veja mais