//

Notícias > Lista de Notícias



Parlamentares tucanos querem anular votação de veto ao Mais Médicos

11/12/2013

 

Os deputados Vanderlei Macris (à frente) e Marcus Pestana pedem anulação da votação (Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara)


Os deputados Marcus Pestana (PSDB-MG) e Vanderlei Macris (PSDB-SP) querem anular a votação que manteve o veto do dispositivo do Programa Mais Médicos porque a decisão foi proclamada pelo deputado Sibá Machado (PT-AC), que não é integrante da Mesa Diretora.
 
“Ele estava no exercício ilegal da presidência quando tomou a decisão de encerrar a votação. A votação é nula. Ligaram o trator e ele não era motorista autorizado para conduzir essa sessão”, reclamou Macris.
 
Depois da reclamação dos tucanos, o deputado André Vargas (PT-PR), que é vice-presidente da Câmara, reassumiu a presidência e disse que não anularia a decisão. “Não vamos aceitar questionamentos de uma decisão que já transcorreu”, disse.
 
Sibá Machado também disse que não anularia a votação. “Sento aqui na presidência outorgado e autorizado. Os atos que assumi serão mantidos”, disse. 
 
Votação aberta
Somente 113 deputados votaram contra o veto, que precisava de 257 votos para ser derrubado. A favor da manutenção do veto houve 204 votos e também duas abstenções. Como o veto foi mantido na Câmara, os senadores não precisaram votá-lo porque, para ser derrubado, ele precisa de maioria absoluta contrária em ambas as Casas.
 
Essa foi a primeira vez em que os vetos presidenciais foram analisados com votação aberta, pelo painel eletrônico. A nova regra foi determinada pela Emenda Constitucional 76, promulgada no último dia 28 de novembro.
 
Veja quem votou contra e a favor da manutenção do veto: clique aqui.
 

+ Veja mais