//

Notícias > Lista de Notícias



Marcus Pestana critica ataques e rebate Dilma

13/10/2014

 

O presidente do PSDB de Minas Gerais, deputado federal Marcus Pestana, criticou os ataques da presidente Dilma Rousseff a Aécio Neves, relacionados aos investimentos em saúde em Minas. Ex-secretário de Saúde no governo Aécio, Marcus Pestana afirmou que as informações divulgadas pela presidente são falsas e destacou que a saúde em Minas Gerais foi reconhecida pelo próprio governo federal como a melhor do Sudeste e a quarta melhor do Brasil, ao contrário do que a candidata do PT tem falado nos programas de rádio e TV e quando vem a Minas.
 
Pestana afirmou que o desempenho da saúde de Minas é resultado dos investimentos feitos pelos governos Aécio e Anastasia e da gestão eficiente e inovadora adotada. Segundo ele, o governo federal do PT, por outro lado, não se compromete com a destinação de 10% das receitas federais à saúde.
 
Em nota, Pestana assinala que a rede de urgência e emergência do Estado é considerada referência nacional e lembra programas como o Prohosp, de fortalecimento dos hospitais, e Farmácia de Minas, de distribuição gratuita de medicamentos, que contribuem para garantir a melhor saúde para os mineiros.
 
“Os fatos e a realidade falam muito mais alto que afirmações levianas de campanha. Infelizmente, na boca da atual presidente da República”, considerou.
 
Veja a íntegra da nota:
 
“A manipulação das informações e o uso da mentira como arma política tem sido uma rotina do PT e da presidente Dilma. A Emenda 29, que foi uma iniciativa do governo FHC, precisava de regulamentação e o governo do PT não se empenhou nesta regulamentação. Isso gerou uma insegurança jurídica já que não havia clareza de quais as receitas que entravam no cálculo e as despesas que eram elegíveis para o cômputo do gasto e do investimento. Isso deu margem a várias interpretações e, só recentemente, houve a aprovação da lei complementar necessária para larear a questão. Foi nesse mesmo momento que Dilma e sua base de apoio no Congresso se negaram a fixar percentual de 10% das receitas federais para a saúde. Aspiração que ficou clara no movimento liderado por entidades como OAB e CNBB conhecido como “Saúde Mais 10”.
 
A gestão do SUS de Minas Gerais não só foi considerada a melhor da região Sudeste, pelo próprio Ministério da Saúde, como é referência para outros estados e reconhecida por organizações como Banco Mundial, Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e Organização Mundial de Saúde (OMS).
 
A presidente Dilma deveria se informar melhor e conhecer programas modelo como Saúde em Casa, Prohosp, Viva Vida, Rede de Urgência e Emergência e Farmácia de Minas. Deveria também conhecer a parceria modelo com os municípios mineiros responsável pelo fortalecimento dos Consórcios Intermunicipais de Saúde.
 
A organização da Rede Urgência e Emergência, na qual o Samu é apenas um dos componentes, tem a sua experiência mais avançada em Minas graças à atuação dos governos Aécio e Anastasia. A introdução do Protocolo de Manchester, com a classificação de risco em todo o sistema, foi pioneira em Minas e copiada pelo Ministério da Saúde no restante do país. A organização e hierarquização da rede hospitalar, classificada em níveis 1, 2 e 3, foi criada por Minas e depois adotada pelo Ministério.
 
A primeira Rede de Urgência e Emergência foi criada no Norte de Minas abrangendo 8 municípios e 1,5 milhão de vidas, um espaço territorial maior que muitos estados brasileiros. No primeiro ano de funcionamento a estimativa é que foram salvas mais de 1.000 vidas, o que levou o criador do Samu, o médico francês Dr. Miguel Martinez, a dizer na sua visita que o Samu de Montes Claros era o melhor Samu do Mundo.
 
A experiência do Norte de Minas foi estendida para o Jequitinhonha e Mucuri, região Centro-Sul, e Sudeste, polarizada por Juiz de Fora, funcionando desde início deste ano sem recursos do governo federal. É uma hipocrisia, cinismo e desfaçatez o governo federal e a presidente Dilma dizerem que o Samu não funciona em Minas. Em Juiz de Fora, por exemplo, o governo federal não credenciou o Samu e não colocou um centavo, e a rede só está funcionando porque está sendo bancada pelo Governo de Minas e municípios. Sem falar nos atrasos nos repasses das outras regiões. No caso das redes de Urgência e Emergência, a presidente Dilma deveria ter vergonha de falar nisso porque o governo federal está descumprindo itens que constam de atas que refletem pacto envolvendo Governo de Minas, municípios e governo federal.
 
Antes de Aécio Neves, o Governo de Minas investia recursos estaduais da ordem de R$ 10 milhões por ano em medicamentos. Após seu governo, o estado passou a investir R$ 200 milhões, 20 vezes mais na distribuição de medicamentos. Aécio criou o programa Farmácia de Minas que foi reconhecido pelo Conselho Federal de Farmácia e Bioquímica como a melhor experiência brasileira de organização da atenção farmacêutica primária. Temos 522 unidades funcionando e até o final de 2015, serão 1.000, o que garantiu a presença dos profissionais farmacêuticos nos municípios mineiros.
 
Os fatos e a realidade falam muito mais alto que afirmações levianas de campanha. Infelizmente, na boca da atual presidente da República.”
 
Conheça os avanços de Minas na saúde:
 
Melhor Saúde
Minas Gerais tem a melhor saúde da região Sudeste e a 4ª do Brasil, de acordo com o Índice de Desempenho do SUS (Idsus), indicador do Governo Federal para medir a qualidade e o acesso aos serviços públicos do setor.
 
Redução de 32% da Taxa de mortalidade infantil entre 2003-2013
 
Atendimento hospitalar de qualidade e mais próximo com o ProHosp
140 hospitais beneficiados
111municípios atendidos
Mais de R$ 1 bilhão investidos
 
Remédios gratuitos
O governo do PSDB inovou também na assistência farmacêutica e criou, em 2008, a Rede Farmácia de Minas. Foram contemplados 832 municípios que aderiram ao programa, com recursos para construção de 975 unidades. Atualmente, o estado conta com 519 unidades em funcionamento.
 
Sistema Estadual de Transporte em Saúde – Sets – (2005-2013)
535 municípios atendidos
598 micro-ônibus entregues
53 consórcios intermunicipais beneficiados
 
Fonte: PSDB-MG

+ Veja mais