//

Notícias > Lista de Notícias



Governo Dilma não prioriza a Saúde, critica Marcus Pestana

07/10/2015

 

(Foto: Alexssandro Loyola/PSDB na Câmara)


O deputado federal Marcus Pestana criticou a crescente escassez de recursos da Saúde no país, nos últimos anos. A declaração foi feita na reunião na Comissão de Seguridade Social e Família, nesta quarta-feira (07/10), quando sugeriu que os parlamentares, junto com especialistas e consultores, fizessem um ‘raio-x’ do orçamento da União para rever despesas, uma vez que o governo do PT não tem priorizado a Saúde. 
 
“Antes de pedir novo esforço da população pelo aumento da carga tributária, temos outro dever de casa muito mais complexo. Tem muito mito e muita coisa por debaixo da mesa”, afirmou.  
  
Sobre a questão das prioridades do governo, Marcus Pestana exemplificou com operações de política monetária, que podem consumir um orçamento igual ao da Saúde.
 
“Sabem quanto as swaps cambiais estão custando ao Tesouro, por ano? 2% do PIB, isto é, R$ 120 bilhões, um orçamento da Saúde. E sabe quem decide essa política? Só a direção do Banco Central. Isso é um orçamento paralelo. A gente fica perseguindo um superávit primário de R$ 40 bilhões, quando as swaps cambiais levam o triplo. Então, não se discute a política monetária. Cada aumento de 0,5% na taxa de juros, são R$ 500 bi adicionais de despesa com a dívida”. 
 
Para Marcus Pestana, o SUS está vivendo um retrocesso. “Sempre havia dificuldades, mas também avanços paulatinos. Agora, nos municípios, estamos percebendo desativação de serviço, agravamento da situação e dificuldade de acesso”, disse. 
 
Segundo o deputado há três caminhos para o financiamento da Saúde pública, a ser debatido não só pelo Congresso, mas por toda sociedade. “O primeiro é financiar o SUS constitucional, a segunda saída é empurrar com a barriga e fingir esse jogo ‘eu  finjo que te pago e você finge que presta o serviço’, e, por fim, vamos rever os princípios constitucionais da universalidade e integralidade, ou pelo menos qualificar”, explicou. 
 

Veja o pronunciamento do deputado Marcus Pestana:
 

 

Imagens: TV Câmara

+ Veja mais