//

Notícias > Lista de Notícias



Em relatório à parte, Marcus Pestana propõe indiciar presidentes dos Fundos de Pensão

14/04/2016

 

Marcus Pestana defendeu inclusão de presidentes dos fundos de pensão das estatais nos indiciamentos (Foto:Lúcio Bernardo Jr./Câmara dos Deputados)


Na sessão da CPI dos Fundos de Pensão para debater e votar o relatório final dos trabalhos, nesta quinta (14/04), o deputado federal Marcus Pestana propôs, em parecer complementar, que sejam indiciados também os presidentes dos Fundos de Pensão que estavam na direção das instituições quando houve decisões dos investimentos suspeitos listados no relatório final da CPI.
 
“O relatório de minha autoria propõe incrementos e adições a partir da verificação de que algumas lacunas ficaram, apesar da alta qualidade do relatório produzido pelo relator, comissão e assessoria técnica”, afirmou Pestana.
Para Pestana, os trabalhos da CPI revelaram um processo de tráfico de influência dentro dos Fundos de Pensão das quatro estatais: Correios, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Petrobras. “Isso levou a operações, no mínimo, descuidadas, exóticas, operações que na lógica de mercado e dentro de uma boa analise econômica não seriam feitas, com recursos dos funcionários das nossas estatais”, disse. 
 
O parecer do relator, o deputado Sérgio Souza (PMDB-PR), pede o indiciamento de 145 suspeitos de envolvimento em esquemas de corrupção nos fundos da Caixa Econômica Federal (Funcef), dos Correios (Postalis), da Petrobras (Petros) e do Banco do Brasil (Previ). O texto também encaminha ao Ministério Público 166 pedidos de investigação de pessoas e empresas na esfera civil.
 
“O meu relatório em separado é porque tenho obsessão pelos princípios da administração pública, transparência e impessoalidade, e o rigor lógico. Não faz sentido tirar do apontamento para o que o Ministério Público prossiga nas investigações os presidentes dos Fundos. Eu não vejo sentido em indiciar o técnico, o gerente que fazia parte do comitê de investimento, de terceiro escalão, e não apontar o presidente que estava ali no momento da decisão. Eu acho que fica sem lógica, inconsistente e incoerente. Alguns de terceiro escalão estão sendo indiciados, mas obviamente alguns desses investimentos certamente houve influência de cima,” explicou.
 
O relatório foi aprovado por unanimidade e o relator decidiu incluir mais alguns pedidos de indiciamento, entre eles o do ex-presidente do Funcef.
 
>> Leia relatório de Marcus Pestana: clique aqui.
 
>> Assista pronunciamento do deputado na íntegra:
 

 

Com informações da Agência Câmara Notícias

+ Veja mais