//

Notícias > Lista de Notícias



Aécio e líderes da oposição recebem reivindicações dos movimentos que foram às ruas

15/04/2015

 

Tucanos e parlamentares da oposição receberam documento dos representantes dos movimentos de rua, no Congresso (Foto: Alexssandro Loyola/PSDB)


Acompanhado de lideranças tucanas na Câmara e de outras legendas da oposição, o presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves,  recebeu, na quarta-feira (15/04), em Brasília, uma carta de reivindicações entregue por líderes dos movimentos de rua ao Congresso Nacional. O tucano ressaltou que as demandas apresentadas coincidem com a pauta defendida pelos partidos de oposição, entre elas a reforma política, o fim da corrupção e a profunda investigação das denúncias envolvendo o PT e o governo federal.
 
“O fato histórico que hoje ocorre é que essa pauta passará a ter acompanhamento desses movimentos no Congresso”, afirmou Aécio. Segundo ele, milhões de brasileiros não aguentam mais o que vem sendo feito com o Brasil e agora percebem real possibilidade de mudanças.
 
Ouça a reportagem: clique aqui.
 
Estudo sobre impeachment – Para o líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (SP), não deve haver receio no uso da palavra impeachment, já que esse é um preceito constitucional. Ele adiantou que, na próxima semana, serão concluídos estudos jurídicos encomendados pelo partido sobre o tema. “Teremos todo o embasamento para que esse sentimento, que é das ruas, possa ser respaldado juridicamente em uma análise criteriosa”, revelou. O tucano ressaltou que a voz das ruas ajuda, e muito, nessa mobilização.
 
No início da tarde, parlamentares do PSDB acompanharam, na rampa de acesso ao Anexo I da Câmara, da leitura da “Carta da Aliança dos Movimentos ao Congresso Nacional”. Ao todo 26 organizações são signatárias do documento que defende ações como o enfrentamento real da corrupção por meio do fim da impunidade, choque de ordem e transparência na gestão pública e ajustes no processo político-eleitoral. O documento de seis páginas foi protocolado na Câmara e no Senado.
 
O documento afirma que a democracia brasileira está fragilizada e o povo está farto do desgoverno. “O povo cansou do desrespeito e da incompetência de alguns políticos e governantes brasileiros, e exige mudanças já”, diz o texto. Continua afirmando que a nação está envergonhada pelos sucessivos escândalos. “Agravado pela impunidade reinante, nós, cidadãos brasileiros, vivemos uma sensação de desesperança”, completa.
 
Para Marcus Pestana, uma conjunção de fatores explica o sentimento de revolta expresso por esses movimentos: “Uma crise econômica profunda, corrupção em escala nunca antes vista, combinado com insatisfação da população em virtude do estelionato eleitoral”, enumerou.
 
O parlamentar elogiou a busca do diálogo com o Congresso e ressaltou a sintonia entre bandeiras apontadas por eles e a agenda das oposições. “Chega de mentira e de corrupção. Mudança já! É isso que todos queremos”, disse o tucano.
 
“A manifestação é legítima e vamos estudar e analisar como vamos dar andamento às observações”, disse o deputado Antonio Imbassahy (BA), favorável ao movimento que pede o impeachment da presidente Dilma.
 
Para Izalci (DF), após o movimento das ruas, agora é necessário agir. “Precisamos pegar essas reivindicações para concretizar a vontade popular aqui no Congresso”, defendeu.
 
Vitor Lippi (SP), por sua vez, avalia que a ida desses movimentos ao Parlamento é bem-vinda. “A mobilização das pessoas dá legitimidade às mudanças que o país precisa. A carta colocou com muita clareza o que esperam do Congresso. Acredito que ouvir essas lideranças é o melhor para o país”, defendeu. De acordo com o tucano, muitas das bandeiras colocadas – como a ampla liberdade de imprensa – terão o apoio do PSDB.
 
 
Fonte: PSDB na Câmara (Reportagem: Elisa Tecles/ Foto: Alexssandro Loyola/ Áudio: Hélio Ricardo)

+ Veja mais