//

Biografia

Raízes no movimento estudantil em Juiz de Fora
 
Mineiro de Juiz de Fora, Marcus Vinícius Caetano Pestana da Silva iniciou sua trajetória política no movimento estudantil, no final da década de 70. Foi coordenador do Diretório Acadêmico da Faculdade de Economia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e integrante do Comitê Brasileiro pela Anistia, em 1979. Pela participação em diversas manifestações a favor da anistia ‘ampla, geral e irrestrita’, junto com outros 16 militantes, chegou a ser processado – e absolvido – pela Justiça Militar.
 
Nos anos seguintes, de 1980 a 1982, presidiu o Diretório Central dos Estudantes da UFJF e participou da direção da União Estadual dos Estudantes (UEE) e da União Nacional dos Estudantes (UNE).
 
Estreia no legislativo e fundação do PSDB 
 
Eleito, em 1982, vereador mais jovem de Juiz de Fora pelo PMDB, aos 22 anos, Marcus Pestana homenageou o então senador Teotônio Vilela com o título de cidadão honorário da cidade, em 1983. Coordenou a campanha das Diretas Já, em Juiz de Fora, e integrou, em 1987, o comitê por uma Constituinte livre, soberana e democrática. Em 1988, foi líder de governo na Câmara Municipal.
 
Pestana integrou o grupo de lideranças e políticos – entre eles Mário Covas e Fernando Henrique Cardoso – que fundou, em 25 de junho de 1988, o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB). Foi o primeiro presidente do PSDB em Juiz de Fora.
 
Ingresso na administração pública
 
Pelo partido ao qual é filiado até hoje, coordenou as campanhas eleitorais de Mário Covas à Presidência da República, em 1989, e de Pimenta da Veiga ao Governo de Minas, em 1990. Nas eleições de 1992, Pestana foi coordenador da campanha de Custódio Mattos à prefeitura de Juiz de Fora, onde ocupou posteriormente o cargo de Secretário de Governo, no biênio 1993 e 1994.
 
Entre 1995 e 1997, Marcus Pestana foi secretário-adjunto da Secretaria de Estado do Planejamento e Coordenação Geral – a atual Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) – durante a administração do governador Eduardo Azeredo. Em 1998, foi nomeado titular da pasta. Nesse período, coordenou o planejamento estratégico do orçamento do Estado, presidiu a Junta de Programação Orçamentária e Financeira e foi presidente do Planbel - Planejamento da Região Metropolitana de Belo Horizonte.
 
Aprendizado no Governo Federal
 
A capacidade de gestão e articulação de Marcus Pestana o levou até Brasília, onde foi Chefe de Gabinete do Ministro Pimenta da Veiga, no Ministério das Comunicações, entre fevereiro de 1999 e março de 2002 – durante o segundo mandato do Presidente Fernando Henrique Cardoso. Acompanhou a implantação da rede de rádios comunitária, a expansão da telefonia fixa e celular e a solidificação da rede postal brasileira. 
 
De abril a julho de 2002, foi Secretário Executivo do Ministério do Meio Ambiente. Nessa época, participou, no Palácio do Planalto, da Assinatura do Protocolo de Kyoto e da Conferência Rio+10 para o Desenvolvimento Sustentável, que reuniu representantes de todo o mundo para fazer um balanço dos acordos firmados durante a Eco-92. Foi também membro do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). Nos dois ministérios, exerceu interinamente o cargo de ministro.
 
Gestão da Saúde em Minas Gerais - Governo de Aécio Neves
 
Convidado para atuar na campanha de Aécio Neves ao Governo de Minas, Pestana se transferiu para a capital mineira para coordenar a equipe de Planejamento, Logística e Finanças em julho de 2002. Com a eleição do governador, participou também da transição do governo.
 
Em 2003, Aécio Neves convidou Marcus Pestana para integrar o primeiro escalão do Governo de Minas e o nomeou Secretário de Estado de Saúde, cargo que exerceu nos dois mandatos de Aécio (janeiro de 2003 a março de 2006 e janeiro de 2007 a janeiro de 2010).
 
Nesse período, implantou políticas públicas da saúde e alcançou importantes resultados em programas como: Viva Vida, Pró-Hosp, Saúde em Casa, Farmácia de Minas, Sistema Estadual de Regulação Assistencial, Sistema Estadual de Transporte em Saúde e Rede de Urgência e Emergência. (Confira alguns resultados) Com esses programas, Pestana viabilizou a construção de Unidades Básicas de Saúde e de Unidades Regionais, aumentou a oferta de medicamentos, entregou um número recorde de ambulâncias aos municípios, reformou e reequipou hospitais em cidades polos, ofereceu treinamento às equipes, além de organizar a rede de Urgência e Emergência de forma pioneira, no Norte de Minas.  Em sua gestão, o Estado foi o primeiro do país a oferecer gratuitamente à população a vacina contra a Meningite C.
 
Marcus Pestana foi também Presidente do Conselho Nacional de Secretários de Estado de Saúde (Conass) entre 2005 e 2006. 
 
Eleição para Deputado e Presidência do PSDB-MG
 
Nas eleições de 2006, Pestana afastou-se da Secretaria de Estado de Saúde para concorrer a uma vaga na Assembleia Legislativa de Minas, sendo eleito, com mais de 104 mil votos, deputado estadual pelo PSDB. Entretanto, não exerceu o mandato e retornou para a atuação na Saúde. Nas eleições de 2010, Marcus Pestana elegeu-se deputado federal com 161.892 mil votos. Foi o segundo candidato mais votado de seu partido e o sexto candidato mais votado em Minas Gerais.
 
Em março de 2011, Marcus Pestana foi escolhido presidente estadual do PSDB e, em abril de 2013, se reelegeu para a direção do partido para o biênio 2013-2015. Em dezembro de 2013, Marcus Pestana recebeu uma das maiores pontuações no “ranking do progresso”, destacando-se como o segundo melhor deputado do Brasil, por trabalhar por um país moderno e competitivo. A classificação é resultado de estudo realizado pela Revista Veja em parceria com o Núcleo de Estudos sobre o Congresso (Necon), do Instituto de Estudos Sociais e Políticos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Iesp-Uerj).
 
Em 2014, Marcus Pestana foi reeleito para a Câmara dos Deputados com 131.687 votos. Em dezembro, a Revista Veja classificou Marcus Pestana como o melhor deputado federal do Brasil, em 2014, ao lado do tucano Antonio Imbassahy (BA). O primeiro lugar no ranking do progresso da Veja é um reconhecimento pelo trabalho parlamentar a favor de um país mais moderno e competitivo. O ranking é publicado anualmente pela Veja, a partir de estudo em parceria com a UERJ.
 
Marcus Pestana comanda a Diretoria de Estudos e Pesquisas do Instituto Teotônio Vilela (ITV), para o biênio 2015 a 2017.